Bem Vindos !

Bem Vindos tôdos(as) os que Amam a Lusitânia , tôdos(as) os que Amam Portugal e o Sêu significado profundo no que respeita ao Futuro da nossa querida Mãe Terra e da Sua Criação , incluindo a Humanidade .
Estejam á Vontade nesta humilde casa , aonde podem Descansar junto á Lareira do Coração , enquanto ouvem uma Música e lêem as Palavras reconfortantes de um Livro ... mas não esperem adormecimento , nem alienação , nem inconsciência , nem nada que nos afaste da Realidade ...
Esperem , talvez , o inesperado , e Tudo o que nos possa (re)conduzir de volta á Fonte ... encontrarão aqui Coisas de muitas proveniências .
Tôdas elas , sejam , Palavras , sejam Música , sejam Imagens , falarão de Dêus , o nosso querido Pai e Mãe , Filho e Espírito Santo ... opto por nomear segundo a Tradição Ocidental , que é a minha , em Especial , nêste Rectângulo ancestral que é Portugal , nêste Balcão que Mira o Atlântico profundo , aonde , Algures , no seu Fundo , a Atlântida aguarda Regressar ao Consciente da Humanidade ... não meçam o que aqui vêem/ouvem/sentem , por conceitos limitadôres , porque a Lusitânia da nossa Alma , não tem medida , a nossa querida Mãe do Céu e da Terra , não SE Limita .
Não nos limitêmos nós (cada um de nós) também ... Tudo é permitido , tôdas as palavras , opiniões , sentimentos , maneiras de vêr , serão permitidas , excepto aquelas que nos conduzam de volta á inconsciência .
Palavras de maledicência , de hipocrisia , de cinismo , de maldade , de intolerância , de fanatismo , de mentira , serão erradicadas deste local de Paz .
Tôdas as formas de expressão , religiosas/espirituais/filosóficas serão bem-vindas dêsde que venham do coração , movidas pêla Honestidade e pela Humildade do verdadeiro aprendiz .
Da Lusitânia , de Portugal , falarei/ falarêmos se assim o quiserem , da sua História , da sua Espiritualidade , dos seus Poetas/Profetas ,das Profecias , da sua imensa e íntima relação com o estabelecimento nesta Terra , das Novas Terras e dos Novos Céus prometidas pêlo Criadôr .

Pesquisar neste blogue

05/03/2012

REZAS e BENZEDURAS POPULARES DE PORTUGAL I


Conforme o prometido no Natal de 2011 , aqui vão as restantes páginas dêste Património religiôso do Pôvo de Portugal .
Mais uma vez os créditos vão para Cunha Simões do qual , na última publicação , já revelei os contactos , para o caso de querêrem comprar o livrinho .
Aproveito para entremear algumas Lindas , Maravilhosas Aguarelas de Paulo J. Mendes , que descobri recentemente e que podem encontrar  AQUI .
Amo estas aguarelas pela essência Belamente captada pelo artista , dos Casarios e Aldeias  do Norte de Portugal , Minho e Alto Minho , de onde sou de nascensa e com muito orgulho .
Amo e julgo que também vão amar .
Eis então a continuação .




Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes






Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes





Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes





 

  Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes




Aguarela de Paulo J. Mendes


Aguarela de Paulo J. Mendes


11 comentários :

  1. Adorei!
    Recordam-me as férias da minha infância.

    Maria da Fonte

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda Bem Maria da Fonte .Fico muito feliz com isso .

      Rogério

      Eliminar
  2. João Paulo Ferreira de Assis29 de abril de 2012 às 00:09

    Sr Rogério Maciel

    Sou brasileiro, e li seu comentário de 27 de julho do ano próximo pretérito no blogue do Professor Antônio Peres, com respeito ao mito da Ilha Brasil.
    Não creio que a veiculação do mito seja um modo de fazer nós brasileiros renegarmos nossa origem. Pois ao que me parece, e também pareceu ao Professor Jaime Cortesão, que o mito da Ilha Brasil foi criado pelos próprios portugueses com base no que lhes narraram os indígenas: haveria um lago central do qual partiriam dois rios, o Amazonas e o Prata, e o território oriental assim teria uma formação insular. Esse mito seria quinhentista, posterior aos dois mitos medievais da Ilha Brasil, um português e um irlandês. O Professor Luis Weckmann, celebrado medievalista mexicano, autor de ''Herencia Medieval de Brasil'' nos mencionou a existência desses dois mitos do Medievo. O mapa de Bartolomeu Velho, de 1561, mostra o Brasil como uma ilha continental, delimitada por dois grandes rios, como a expressar o mito luso-brasileiro da Ilha Brasil.

    Muitos compatriotas meus renegam o passado português, mas isto se dá por serem de outras origens, como espanhóis, italianos, alemães, russos, japoneses e árabes. Um erro recorrente neles é comparar as colonizações com desvantagem para Portugal. Não vejo assim. Eu estudei a história das cidades espanholas fundadas em território hoje brasileiro, e vi, por exemplo, que a Espanha não respeitava o direito de ir das pessoas. Rui Díaz de Guzmán em 1593, obrigou por força de armas os habitantes de Ciudad Real e de Villa Rica, cidades então situadas no atual Estado do Paraná, a irem fundar Santiago de Xerez, no atual Estado do Mato Grosso do Sul. Os portugueses, pelo contrário respeitavam o direito fundamental de ir e vir. Proibiam imprensa e cursos superiores, permitidos pelos espanhóis, mas davam liberdade de ir e vir. Isto para mim decide o pleito em favor de Portugal.

    ResponderEliminar
  3. Caro sr João Paulo Ferreira de Assis , obrigado pela resposta .
    Poderia dizêr-me qual o blogue , pois já passou algum tempo ...lembro-me , ligeiramente dessa questão e de têr publicado algo num blogue que falava disso , mas já não sei qual .
    Cumprimentos .

    ResponderEliminar
  4. João Paulo Ferreira de Assis4 de maio de 2012 às 01:33

    É o blogue do Professor Antonio Peres.

    ResponderEliminar
  5. João Paulo Ferreira de Assis14 de maio de 2012 às 01:41

    Outra achega sr.Rogerio Maciel:

    Em 1554 Dom João III reivindicou para Portugal a posse dos estabelecimentos espanhóis no Paraguai. Assunção havia sido fundada em 1537, na margem oriental do rio Paraguai. A margem ocidental só foi ocupada muitos anos depois. Os espanhóis chamavam-na ''Gran Chaco Gualamba''.
    Isto me permite supor que o lago central seria o Pantanal matogrossense, que nos mapas de Castela aparecia como ''Laguna Xarayes''.

    Termino a dizer que o seu blog é belíssimo de se ver, e tem uma visão agradável aos olhos.

    Também tenho minhas queixas contra o acordo ortográfico, visto que terei de adquirir um novo computador, com o programa segundo o acordo. Isto far-má-á gastar metade do meu ordenado.

    Saudações, João Paulo Ferreira de Assis, Professor de História.

    ResponderEliminar
  6. Muito obrigado caro João Paulo .Muito me honra com a sua participação esclarecida . A humana , a de professôr e a de estudiôso .
    Mais uma vez , muito obrigado .É sempre Bem-Vindo na Luz da Citânia .
    Se quiser participar no nosso grupo dos Simpatizantes dos Amigos do Elmo deixo-lhe aqui a direcção : http://www.facebook.com/groups/186345981388240/
    Um Abraço da Lusitânia!
    Rogério

    ResponderEliminar
  7. Olá Rogério, gostaria de saber para qual religião esse livro é mais direcionado!?

    ResponderEliminar
  8. Olá ! Suponho que , pelas rezas que se podem lêr , está ligado á religião Católica , no entanto , o que conta é o Coração que Ora ao PAI , ou aos Santos , independentemente da religião .
    Embora eu seja tradicionalmente Católico , sou essencialmente Cristão , no sentido de quem segue a Palavra e o Exemplo de Jesus , e , para Isso , não é preciso religião .Tal como Jesus estabeleceu , basta Só Amar a Dêus com tôdo o nosso Coração e Vida .

    ResponderEliminar
  9. Respostas
    1. Grato.
      Ainda bem.
      Tento fazêr sempre o meu melhor.
      Abraço

      Eliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...