Bem Vindos !



A LUZ Da CITÂNIA

Bem Vindos tôdos(as) os que Amam a Lusitânia , tôdos(as) os que Amam Portugal. Estejam á Vontade nesta humilde casa , aonde podem Descansar junto á Lareira do Coração... Do que aqui poderão encontrar, nada vos levará ao sôno da Inconsciência, mas, tal como diz o Nosso Pôvo na sua Sabedoria Milenar, «Não se pode agradar a Grêgos e a Trioânos...». Assim, nem tôdos concordarão com o que aqui está Escrito, mas tudo o que é aqui Dito, foi ( e é) Vivido por mim, Muito embora tantas e tantas vêzes sentido,pensado e escrito por outros/as, outros/as com os/as quais me Identifico, no sentido essencial e mais vasto, porque Irmanados no Passado, no Presente e no Destino Luminôso de Portugal, O Pôrto-Do-Graal.
Poder-se-á Falar aqui de várias tradições espirituais, uma vez que Dêus é só UM, mas a minha, a Nossa Tradição, a de Portugal, é Cristã. Quando me refiro a Cristã, não me refiro a qualquer instituição religiosa organizada, mas á Vivência da Tradição Original Cristã,
Aquela que nos foi Legada por Cristo, o nosso Amado Senhôr. Uma Coisa é Certa: Aqui Amamos a Dêus, o nosso PAI Celestial , a Jesus Cristo, o Seu Filho Dilecto e o nosso Redentôr, á Sua Mãe, a Virgem Mãe Santíssima, e ao Seu Santo Espírito , o Verbo Criadôr,
Porque Êsse Foi( É) o Amôr e A Razão da Existência de Portugal, e o seu Destino Maior.
Nêste pequenino rinchão Rectangular Ancestral de Tamanho Mundial, nêste Balcão que Mira o Atlântico profundo, Portugal aguarda o Regresso da sua Mãe Ancestral, A Atlântida, á Luz da Vastidão do Luso Mar... Por isso mêsmo, não meçam o que aqui vêem, ou ouvem, ou sentem, limitando-vos ás Aparências... A Realidade por Detrás das Aparências, Quer Levar-nos para mais Longe e para Mais Alto...
E como, a Lusitânia da nossa Alma , não tem medida , a nossa querida Mãe do Céu e da Terra não SE Limita, também não existem limites Aqui na Luz da Citânia... o único Limite, se assim me posso expressar, é Ilimitado, Um Rumo Inalterado que nos leva de volta a Cristo. Cristo, não como um conceito vago, ou como religião limitativa, mas como o Verbo Encarnado , o Senhôr e Rey de Portugal e a Génese Espiritual e Existencial Desta Terra de Santa Maria. Santa Maria que É A Luz da Citânia, ou A Terra da LUZ Divina, onde A Mãe Celestial Estabeleceu o Seu Trôno Terreal.
Aqui Ela Está presente há muitos séculos, Algo que o nosso Primeiro Rey, Dom Afonso Henriques, Abençoado por Jesus Cristo na Batalha de Ourique(Abençoando Assim Portugal!), Reconheceu dêsde a primeira Hora da Nação.

Pesquisar neste blogue

31/10/2017

1 de Novembro, Dia de Tôdos-os-Santos e D' O Pão-Por-Dêus


A Tradição de Portugal



Cada vez mais se celebra o Dia de Tôdos-os-Santos 

 no Dia de Finados ou Dia dos Fieis Defuntos .

A igreja Católica de Portugal aceita esta vontade do Pôvo Luso .


(Frontispício da Igreja de Sta Isabel em Lisbôa)


O Espírito Isabelino do Pôvo de Portugal

Êste espírito manifesta-se também , na natural liberdade  do Pôvo Luso .
De tal modo é assim , que , ao longo dos séculos o Pôvo foi fazendo ``adaptações´´ do catolicismo muito Português , á sua vontade de manifestar a Alma de Portugal .
Esta é uma dessas ``adaptações´´ do espírito Luso que está intímamente ligado ao Espírito Santo .

 « ..O padre José Manuel Almeida prefere acrescentar uma justificação mais espiritual :

``A voz do Pôvo é a Voz de Dêus e se calhar muitos dos nossos defuntos podem sêr também celebrados no dia de Tôdos-os-Santos´´ , explica. O religiôso vai mais longe e acredita que , como ``Dêus Escreve Direito por Linhas Tortas ´´ , esta combinação popular dos dois dias pode-nos  fazêr pensar e assim ,  fazêr-se Luz :  ``Se calhar não são datas assim tão diferentes.´´
Uma coisa parece certa, os portugueses dão mais significado ao Dia-de-Finados que à celebração de Tôdos-os-Santos. Talvez porque  esta é uma data em que ``particularmente se recordam os amigos e familiares que se encontram a caminho da comunhão com Dêus´´, refere o priôr da paróquia de Santa Isabel. A proximidade das pessôas aos sêus defuntos aumenta o significado desta data, em relação à celebração de santos que são desconhecidos. ...  »   




O DIA DE TODOS-OS-SANTOS





Amanhã é Dia de Todos-os-Santos e celebram-se todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados.


Embora o Dia-de-Finados seja no dia 2 de Novembro, é no dia 1 (Feriado) que normalmente as pessoas se deslocam aos cemitérios, para prestar homenagem aos seus familiares já falecidos.



Em algumas aldeias do país, há ainda (entre outras) a tradição de as crianças irem de porta em porta , com um saco na mão, pedir o Pão-por-Dêus.


 Normalmente recebem bôlos, frutos sêcos, pão , …


Esta sim, é uma tradição nossa que se está a perdêr, enquanto vamos importando as tradições de outros países. 



No entanto, o número de Aldeias/Povoações de Portugal que têm recuperado esta tão Bela Tradição Portuguêsa, tem aumentado lenta, mas cada vez mais seguramente.


Gente com alma , tem vindo a recuperar esta linda 

Tradição Portuguêsa .



« Em Portugal, no dia 1 de Novembro, Dia de Todos-os-Santos,


 logo de manhã bem cedinho, as crianças saem à rua em pequenos grupos para pedir o Pão-por- Dêus . 

                                                         
Passeiam assim por tôda a povoação batendo de porta em porta, até ao fim da manhã , 




e voltam com os seus sacos de pâno cheios de romãs, maçãs, dôces, bolachas, rebuçados, chocolates, castanhas, nozes, passas de figo e, às vezes até dinheiro.  ...  » (http://www.junior.te.pt/servlets/Bairro?P=Sabias&ID=312)




&&&&&&&&&&&


Há povoações em que se chama a êste dia, o "Dia dos Bolinhos". 




« Ainda hôje em muitas localidades com maior incidência nas aldeias de Portugal, é um hábito do Pôvo, comemorar duma forma curiosa e genuína este dia feriado.
Na tradição popular o Dia de Todos-os-Santos é conhecido pelo “Dia dos Bolinhos” ou “Pão-por-Dêus” conforme os usos e costumes de região para região.
Logo pela manhã, as crianças em pequenos grupos com as suas saquinhas de pano, andam de porta em porta por ruas e vielas, repetindo com entusiasmo e alegria o tradicional pregão “ Ó tia! dá bolinho?”. É interessante sabêr-se que, principalmente nos meios rurais, há pessôas que levam muito a rigôr esta tradição , dedicando-se à confecção de bolinhos , adicionando à sua massa, a noz, as passas de uva e o pinhão (frutos sêcos da época) para que nêste dia, possam presentear os sêus familiares, amigos e todas as crianças que alegremente vão batendo  a tôdas as  portas. ... » (http://florliriodocampo.blogs.sapo.pt/19923.html)


 Uma coisa muito bôa que não sabias de certeza é que é costume os Padrinhos oferecerem um bôlo, o Santoro, aos sêus Afilhados no Dia de Tôdos-os-Santos! Já viste o que tens andado a perdêr ?
« ... O mês do Santoro

O mês de Novembro inicia-se com o ritual do Santoro. Talvez hoje em dia, exceptuando em digitas zonas rurais, esse ritual se haja perdido.
Jesué Pinharanda – Carta DominicalMudam-se os tempos e mudam-se os costumes. Como a vida é uma festa, o imaginário de haver um dia em que acontece algo de diferente, terá perdido o anelo com que se aguardava o dia 1 de Novembro.
Nessa festa, os padrinhos de baptismo costumavam oferecer aos afilhados o 
Santoro. Este nome é uma variante popular da festa litúrgica de Todos os Santos – Omnium Sanctorum, de onde: sanctorum – santorum – santoro. A lembrança que se recebia na Festa de Todos os Santos.
Pão Rosca de Todos os SantosNão era mais do que uma boa rosca de pão de trigo, amassado com um pouco de azeite e cozido no forno. Pesaria para aí uns três arrates, e quando ia ao forno já levava umas incisões que permitiam partir o bolo por fracções, sem recurso a faca.
Pão em argola, era esta largo o bastante para se pendurar no braço e ir com ele pela rua, de casa do padrinho até casa dos pais, raramente a rosca chegando inteira.
Foi um costume rural, a partilha do pão novo. O pão de Todos os Santos.
«Carta Dominical» de Pinharanda Gomes




       « ...     Antigamente tôdas as pessôas , tradicionalmente , iam pedir o Pão-por-Dêus   porque havia muita pobreza e havia mêsmo necessidade de pedir.


 Normalmente as pessôas punham as mêsas com o que tinham em casa (comida e bebida), e quando chegavam os pobres, entravam e comiam à vontade e à saída ainda lhes davam mais alguma coisa.


            Hoje, em muitas aldeias , só pedem as crianças para que se mantenha  a Tradição.  

 

Depois, almoça-se e vai-se ao cemitério pôr flôres nas Campas dos Familiares já falecidos.


            Na Tradição Portuguêsa o Pão-por-Dêus era guardado num saquinho de pâno , que tempos antes ,  as mães ou as avós preparavam com todo o cuidado com uma sobra de chita de algum trabalho de costura.



            Havia até mulheres simpáticas que confeccionavam para oferecêr nesta época , uns bôlos , as Ferraduras , que ainda hôje se cozem , com um agradável sabôr a Erva-Dôce, assim como Brôas, para comêrem e dar ás  crianças que lhes batiam à porta.


            Estas andanças de porta em porta eram sempre acompanhadas com Cantilênas que continuam na memória colectiva e que continuam a sêr cantadas com Alegria , nêssse renascimento da Tradição em Portugal .

``Pão por Dêus,
Fiel de Dêus,
Bolinho no saco,
Andai com Dêus.

Pão, Pão-por-Dêus
à mangarola,
encham-me o saco,
e vou-me embora .

Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós
Para dar aos Finados
Que estão mortos, enterrados
À porta daquela Cruz

Truz! Truz! Truz!
A senhôra que está lá dentro
Assentada num banquinho
Faz favôr de se levantar
P´ra vir dar um tostãozinho.

(quando os dônos da Casa davam alguma coisa, vinha a resposta...)

Esta casa cheira a brôa
Aqui mora gente bôa.
Esta casa cheira a vinho
Aqui mora algum santinho.

(quando os dônos da Casa não dão nada, era a ira da miudagem...)

Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho.
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto. ´´

            Tradicionalmente as crianças usam estas quadras, algumas diferentes, variando de região para região.    »







Mais linques sôbre o Dia de Finados ou dos Fieis Defuntos  , Pão-por-Dêus ou Dia dos Bolinhos , Dia do Santoro até ao Dia de S Martinho







e muitos mais ...


Espero que tenham amado como êu Amo .

A Tradição Portuguêsa é a Nossa Alma , a Nossa 

Identidade Ancestral que precisa Estar Viva para 

que Portugal Viva .






Por Amôr a Portugal !

Sem comentários :

Enviar um comentário