Bem Vindos !

Bem Vindos tôdos(as) os que Amam a Lusitânia , tôdos(as) os que Amam Portugal e o Sêu significado profundo no que respeita ao Futuro da nossa querida Mãe Terra e da Sua Criação , incluindo a Humanidade .
Estejam á Vontade nesta humilde casa , aonde podem Descansar junto á Lareira do Coração , enquanto ouvem uma Música e lêem as Palavras reconfortantes de um Livro ... mas não esperem adormecimento , nem alienação , nem inconsciência , nem nada que nos afaste da Realidade ...
Esperem , talvez , o inesperado , e Tudo o que nos possa (re)conduzir de volta á Fonte ... encontrarão aqui Coisas de muitas proveniências .
Tôdas elas , sejam , Palavras , sejam Música , sejam Imagens , falarão de Dêus , o nosso querido Pai e Mãe , Filho e Espírito Santo ... opto por nomear segundo a Tradição Ocidental , que é a minha , em Especial , nêste Rectângulo ancestral que é Portugal , nêste Balcão que Mira o Atlântico profundo , aonde , Algures , no seu Fundo , a Atlântida aguarda Regressar ao Consciente da Humanidade ... não meçam o que aqui vêem/ouvem/sentem , por conceitos limitadôres , porque a Lusitânia da nossa Alma , não tem medida , a nossa querida Mãe do Céu e da Terra , não SE Limita .
Não nos limitêmos nós (cada um de nós) também ... Tudo é permitido , tôdas as palavras , opiniões , sentimentos , maneiras de vêr , serão permitidas , excepto aquelas que nos conduzam de volta á inconsciência .
Palavras de maledicência , de hipocrisia , de cinismo , de maldade , de intolerância , de fanatismo , de mentira , serão erradicadas deste local de Paz .
Tôdas as formas de expressão , religiosas/espirituais/filosóficas serão bem-vindas dêsde que venham do coração , movidas pêla Honestidade e pela Humildade do verdadeiro aprendiz .
Da Lusitânia , de Portugal , falarei/ falarêmos se assim o quiserem , da sua História , da sua Espiritualidade , dos seus Poetas/Profetas ,das Profecias , da sua imensa e íntima relação com o estabelecimento nesta Terra , das Novas Terras e dos Novos Céus prometidas pêlo Criadôr .

Pesquisar neste blogue

27/02/2012

O Plano do Senhôr para Portugal I


(El-Rey D Sebastião a cavalo , obra de autôr desconhecido

El-Rey D. Sebastião , A Batalha de Alcácer Quibir
e Sta. Terêsa de Ávila ...

Aqui apresento o relato de sta. Terêsa de Ávila acêrca do diálogo que mantêve com o Nosso Senhôr Santo Cristo e as Suas Palavras acêrca da Sua Decisão em relação á Épica Batalha de Alcácer Quibir , que , apesar da `` Derrota ´´ , tem tudo a vêr (mais uma vêz na Linda História de Portugal , que , para aquém e além doutros significativos acontecimentos Começou com a Aparição de Cristo ao nosso Rei Fundadôr na ,também, Épica Batalha de Ourique , na qual , o Nosso Senhôr anuncia o Sêu Favorecimento a Portugal , e que êste se ocultaria á 16ª geração , ou seja a partir d' El-Rey D Sebastião , para mais tarde de nôvo Se Revelar ... ) com o Destino Espiritual de Portugal , bem mais do que exclusivamente concreto no material .


Quiz partilhar êste relato de sta.Terêsa , pelo Maravilhôso que é para Portugal , pelo Amôr que o Nosso Senhôr demonstra por esta Nação e pela Razão Divina da Derrota , que é um Sacrifício , mais do que uma Punição ...
Sacrifício da Flôr de Portugal , auto-punição Cármica de acontecimentos passados , mas a que o Senhôr contrapõe , sêr o Meio pelo qual se dá a Redenção de Portugal e o consequente , Futuro Regresso da Felicidade e Glória perdidas ...

(Cortina realizada por Carlos Botelho 
para o bailado D. Sebastião, do Grupo coreográfico Vêrde Gaio)

Aguardamos Pacientemente êsse Regresso tão Longamente Esperado e Desejado , sabendo que não é uma espera desesperada , pois quem Espera em Dêus , Nunca desespera , mas também , nunca nos eximindo da Acção e da Dinâmica , numa Aceitação da Vontade de Dêus , mas sempre com FÉ na Sua Bondade , Agindo no Espaço e no Tempo , muito mais do que só reagindo .
Assim Se Cumpra a Missão de Portugal , que É o Próprio Portugal !




(texto que traduzi do Inglês)

Sta Terêsa de Avila, a 15 de Outubro
(pelo Prof. Plínio Correia de Oliveira )

Terêsa estava no Carmelo de Tolêdo quando o Rei de Portugal, DOM Sebastião, foi môrto e o seu exército derrotado na grande batalha de Alcácer-Quibir em Marrocos em 1578.
A santa teve uma revelação em relação à derrota.
Ficou triste e chorosa, uma vez que muito desejava o avanço da cristandade e a conquista dos sêus  inimigos .


Sta Terêsa de Ávila queixou-se a Nosso Senhôr: “Mêu Dêus, porque é que Permitiste a derrota das tuas gentes e a victória dos Têus inimigos ?”
E Nosso Senhôr respondeu-lhe: “Se Êu encontrei-os preparados para serem trazidos á Minha Presença, porque é que te afliges ?”

O sêu sentimento da amargura ia-se dissipando á medida que considerava a Glória que os soldados mortos na Batalha , naquêle mêsmo momento já desfrutavam .


Admirava aquêles Guerreiros a quem Dêus tinha considerado dignos para a felicidade eterna ,especialmente , considerando os hábitos normalmente descuidados dos soldados. Imediatamente , desejou estender a sua reforma carmelita a Portugal.
Rezou ardentemente para conhecer a Vontade Divina ,e na Festa da Assumpção, têve a resposta .



O Nosso Senhôr disse-lhe:
“Minha filha, por agora , não irás encontrar em Portugal , casas da tua reforma ... as tuas filhas e filhos fá-las-ão no futuro , quando Êu acabar com a Punição que impús a Portugal, e de nôvo Abençoar com a Minha Mercê êste País.

O aumento da verdadeira religiosidade dar-me-á o motivo para Levantar Portugal da miséria em que caíu , restaurar-lhe a antiga felicidade , com a promessa de futuras glórias . ”




Comentários do prof. Plínio: « O trecho trata de dois assuntos relacionados: A derrota de Alcácer-Quibir em 1578, e a fundação dos conventos carmelitas em Portugal. Em primeiro lugar , sta. Terêsa rezava ,quando Dêus lhe revelou que o Rei Dom Sebastião de Portugal [que reinou dêsde 1557 a 1578] tinha sofrido uma grande derrota em Alcácer-Quibir. Esta batalha provou sêr decisiva de diversas maneiras .

Se o rei Dom Sebastião - Rei muito Piedôso e virginal , a última Flôr do Velho Portugal - tivesse
vencido , teria desfeito o podêr Muçulmano .


Portugal teria fundado uma próspera colónia no Norte de África, a qual teria sido a testa-de-ferro
e a ponte para uma África católica. Isto agitaria todo o podêr Muçulmano no mundo. Os Muçulmanos ocuparam a península dos Balcãs, a Turquia, tôda a Ásia Menor , e partes de África, Egipto, Tunes, Tripolitania, Argélia e Marrocos. Naquela altura a parte mais dinâmica do podêr Muçulmano estava no Norte de África. Consequentemente, se o exército Português tivesse conquistado o Norte de África, teria aberto o acesso a outros reinos católicos , tais como a Espanha e a França . Portugal já tinha uma guarda-avançada em Fêz e , em Alcácer-Quibir estava a tentar estendêr a sua posição militar e aumentar a sua influência estratégica .


Por êste mêsmo motivo, Alcácer-Quibir era uma batalha decisiva.

Para essa batalha ultramarina, El-Rey D Sebastião tinha reunido uma grande frota em
Lagos com um numeroso exército de nobres e soldados Portuguêses.

Janela em Lagos , onde El-Rey D Sebastião se dirigiu ao exército ...

Diz-se que fez uma manobra militar imprudente contra os Muçulmanos, que foi môrto na batalha, e assim , o poder Português desfêz-se . Por outro lado, o poder Islâmico consolidou-se e ganhou fôrça.
 Isto era não só , muito mau para a conversão(segundo a perspectiva do vaticano , claro! ) das nações Islâmicas, mas era igualmente favorável ao protestantismo. Pois , livres da ameaça católica em África, os Muçulmanos podiam assim concentrar-se nos seus ataques contra a Áustria e a Hungria.
Com êsse objectivo , apoiaram os Protestantes noutros países que também eram inimigos da Áustria e Hungria católicas .

Esta derrota também foi catastrófica para a independência de Portugal. D.Sebastião só deixara um herdeiro, o sêu tio e cardeal D. Henrique, que se tornou Rei. Foi dispensado pelo papa do sêu voto de castidade de maneira que pudesse continuar com a dinastia de Avis. Mas reinou sómente dois anos [1578-1580] e nunca teve filhos . A Corôa Portuguesa , passou por direito sucessório , para o rei Filipe II de Castela ...

( ... Bem , esta é a versão , em boa-fé ,  do prof Plínio .
O que realmente se passou , e é isso que êu penso do assunto , foi que , sendo o cardeal D Henrique , o Inquisidôr -Mor em Portugal , Traíu Gravemente  a Nação , oferecendo em Testamento , o Reino de Portugal ao Rei de Castela .
Na verdade , o Trôno de Portugal deveria passar Natural e  sucessóriamente para o sêu IRMÃO D António Priôr do Crato , o que não acontecêu , porque a profundêza da conspiração e o nível da Traição a Portugal - pelos mêsmos que sempre que se apresentava a  oportunidade ,  se passavam para o lado Castelhâno - era altíssima , e já vinha da altura em que o tio d'El-Rey D Sebastião , Filipe II , deliberadamente , não lhe enviou os prometidos 50 000 homens para a fatídica Batalha ...
Fica  portanto , aqui  , o Esclarecimento do que realmente se passou ! )

 A Dinastia Portuguêsa ocultou-se com El-Rey  D . Sebastião em Alcácer-Quibir , o que trouxe pesados dânos a Portugal.


Ao compreendêr tudo isto, Sta Terêsa ficou muito triste e chorosa , e perguntou a Nosso Senhôr porque é que tinha permitido esta derrota.

A resposta que o Senhôr lhe Dêu foi que o exército Português estava tão bem preparado espiritualmente que levou a grande maioria deles directamente para o Céu.
Podêmos vêr que a resposta do Nosso Senhôr era um pouco evasiva...
A resposta completa veio , quando disse que a derrota tinha sido uma punição, e que os bons religiosos e a futura Espiritualidade a chegar , seriam o meio para anular a Dura Prova ...


Podêmos vêr que este episódio entre Sta Terêsa e o Nosso Senhôr ,relaciona-se , no essencial com a
questão política e militar de Portugal. Ora , isto é contrário a uma certa mentalidade delicodôce sôbre as vidas dos santos , que quase nunca considera tais facêtas. Tudo tem que sêr espiritual...
A êste falso espírito de piedade aborrece lidar com os interêsses político-militares católicos ; assume demagógicamente que o Espírito é tão Alto que nada mais interessa ... o verdadeiro santo , insinua , não quer sabêr de questões político-militares. No episódio descrito acima , entre o Nosso Senhôr e sta.Terêsa , vêmos que o opôsto acontece.

O Nosso Senhôr mostrou a derrota militar d' El-Rey D.Sebastião a Sta.Terêsa , numa visão mística
porque Queria falar-lhe sôbre isso .


Alcácer-Quibir ,  Quadro de Duarte Gonçalo

 É interessante considerar quão belos são os Desígnios de Dêus .
Como a Sabedoria Divina tem uma infinidade de facêtas que a inteligência e compreensão humanas nunca poderão abrangêr completamente .




O Senhôr respondêu a sta Terêsa dizendo-lhe que a maioria das tropas Portuguêsas tinha sido preparada para a morte , e assim Êle levou-os ...

«Desastre em Alcácer Quibir... lenda e nevoeiro»

(clicar para ouvir !)

( Nota : Irresponsável ?...mmmm, talvez , mas os Acontecimentos têem sempre uma Lógica Superiôr que nada tema vêr com a lógica limitada humana ... na sua Loucura (já Pessôa dizia ...) , na sua Irresponsabilidade superiôr , o nosso senhôr El-Rey D Sebastião , estava a Cumprir a Vontade de Dêus (por nada "políticamente" correcta que geralmente é ) , e a Cumprir Portugal . . .
Porquê?! Como ?! Qual a Lógica ?! Não me perguntem ... Perguntem a Dêus , qual seja a vossa Ideia/Sentimento de Dêus )

Pode-se vêr que , mêsmo naquêle momento em que Dêus sacrificava Portugal , a Sua Bondade
têve em consideração o estado espiritual daquêles combatentes ...
Talvez que , se êles não estivessem tão Bem Preparados para uma Bôa Morte , o Nosso Senhôr tivesse alterado o momento do Sacrifício ... Pode-se vêr a Sua Preocupação , a Sua Bondade , a Sua Mercê .
... »
A Verdade Sempre Será !



 O resto são mais algumas considerações do professôr Plínio que , apesar de serem consequências da
da Batalha de Alcácer-Quibir , só têm a vêr com a posteriôr fundação da Ordem Carmelita em
Portugal , mas que podem lêr no linque original .

Sem comentários :

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...